23 de abril de 2024
Últimas NotíciasVida Universitária

Rádio Jornal Inclusão ganha registro na OMS

No ar há mais de 10 anos, o Rádio Jornal Inclusão ganhou reconhecimento da Organização Mundial da Saúde. O programa é um projeto de extensão da Uniso realizado por alunos e docentes em parceria com a Rádio Cruzeiro FM (92,3MHz). 
Por meio de um material desenvolvido pelos colaboradores, em parceria com os estudantes do curso de Fonoaudiologia, foi realizada uma entrevista com a doutora Maura Laureano. Especialista no assunto, ela enfatizou sobre o cuidado com a voz. O material fez parte do movimento em prol do Dia Mundial da Voz, evento organizado pela OMS para apresentar questões relacionadas ao tema, com o objetivo de alcançar o maior número de pessoas no mundo para promover a conscientização.  
A entrevista foi registrada na Organização Mundial da Saúde. Para a surpresa de todos, os docentes da Uniso receberam uma carta informando que o programa foi registrado naquela instituição como um veículo que transmite notícias de características de inclusão para o Brasil e o mundo, em especial por meio das rádios web. O reconhecimento mundial trouxe grande satisfação aos colaboradores, considerando a importância do projeto. Também feliz com a notícia, o professor Fernando Negrão informa que, para o ano de 2023, podemos aguardar algumas novidades dentro da Rádio Uniso.  

Como começou  
O Rádio Jornal Inclusão é um projeto de extensão da Uniso realizado por alunos e docentes em parceria com a Rádio Cruzeiro FM (92,3MHz). É o primeiro programa de rádio jornal do Brasil para pessoas com deficiência, veiculado de segunda a sexta-feira em uma rádio FM e também na Rádio Uniso.  
A história do projeto começou com um pedido feito pelo Jornal Inclusão Brasil, na época produzido pela fisioterapeuta Dariene Rodrigues com a colaboração de sua amiga jornalista Daliani Ribeiro, em prol da distribuição de informação sobre o mundo das pessoas com deficiência. O programa trazia temas como acessibilidade, tecnologia assistiva, ciência e tecnologia, moda inclusiva, mercado de trabalho, esporte adaptado, cultura e lazer, transportes e adaptação e etc.  
Ao ser impresso em material convencional, logo houve a necessidade de adaptação do conteúdo, pois parte do público era formado por deficientes visuais. Com esse desafio, Dariene procurou a Universidade na tentativa de encontrar uma solução para o problema. O jornal, que era apenas impresso, passou a ser lido e gravado em formato de CD por uma equipe de alunos e voluntários comandada pelo professor Fernando Negrão.  
O material gravado foi enviado para a Associação de Deficientes Visuais de Sorocaba durante 3 anos. Tempos depois, a Reitoria da Uniso aprovou um projeto de extensão, transformando o jornal para o formato de rádio, semanalmente conduzido pelos alunos voluntários. A ideia foi apresentada para a Rádio Cruzeiro FM, o que resultou em uma parceria com grande retorno positivo.  
Com pautas relacionadas à acessibilidade, qualidade de vida e bem-estar da comunidade, o programa foi destaque em audiência, ganhando notoriedade e menções honrosas na Câmara Municipal de Sorocaba, além de espaço em outras rádios. O programa recebeu distinção de ser um dos únicos jornais do Brasil com o perfil.  

Texto: Kauã Rocha (Agência Focs / Jornalismo Uniso)
Fotos: Alunos e professores em gravação (Arquivo Pessoal)